IAN E LUCCA: OS GÊMEOS APRESSADINHOS

Dani teve uma gravidez de tirar o fôlego em vários momentos. Segundo o papai Sandro, as surpresas começaram quando eles descobriram que não teriam apenas um bebê, mas dois. Essa notícia mexeu com as suas estruturas. Na hora, as suas pernas tremeram, a voz sumiu e o coração acelerou. Sem dúvidas, esse foi um dia que entrou para a história do casal.

Durante a gravidez eles tomaram todos os cuidados. E escolher a melhor maternidade foi uma das prioridades. Depois de pesquisar algumas, chegaram na Perinatal e quando conheceram de perto a estrutura, os médicos e o atendimento, não tiveram dúvidas que tinham encontrado a maternidade certa.

Mas o grande momento ainda estava por vir, e, eles nem sabiam que chegaria tão rápido, com pouco mais de seis meses. Pois, os seus bebês, Ian e Lucca, foram bem apressadinhos, e a Dani internou na Perinatal em plena segunda de carnaval. Era o bloco de “Aláláo” passando na rua e o bloco da família entrando na maternidade.

Desde a pré-internação eles receberam os melhores atendimentos, a Dani tomou Corticóide para amadurecer o pulmão dos bebês e, após cinco dias, o grande dia chegou: Ian e Lucca viram a luz pela primeira vez. E viram também o papai, que na sala de parto segurava as pernas para não desmaiar de tanta emoção.

Os bebês ficaram 50 dias na UTI. E o casal só ficou tranquilo porque encontrou na Perinatal a UTI do bebê e médicos totalmente preparados para essas situações. Quando o casal chegou em casa, mantiveram os ciclos de amamentação de 3 em 3 horas, igualzinho na maternidade.

Eles receberam muitas dicas dos enfermeiros e depois de uma semana, a amamentação da madrugada passou para um intervalo de 4 horas. Para Sandro, essa foi uma das dicas mais valiosas. Porque se cinco minutinhos a mais de sono fazem diferença, imagine uma hora.

Sandro assumiu a maternidade como a Dani. Até hoje ele checa a temperatura, e troca as fraldas, só falta mesmo amamentar. (risos) Ah, e ele ainda mantém os amigos conectados com os novos membros da família, mandando fotos e noticias pelas redes sociais. Já que os bebês ainda não podem receber todas visitas.

Segundo Sandro, as pais precisam ser fortes, se unir e apoiar um ao outro. Os maridos, devem paparicas suas esposas. E a tradição na maternidade deve ser mantida: amizade e muito bolo com bebidas à vontade a cada mês de UTI e Alta.

Foram 50 dias de luta, 24 anos de namoro, 8 anos de casamento, 4 FIVs, uma inseminação, uma quase desistência de paternidade e duas bênçãos: Ian e Lucca. Os bebês lindos do papai Sandro e da mamãe Dani.

Parabéns aos mais novos papais!